CORDEIRO de ITIÚBA
Consulte antes um POETA
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
AZAR NO JOGO, SORTE NO AMOR...


Ontem, domingo de Páscoa, dia de confraternização, de almoçar com a família, com os amigos e eu aqui, por conta da PANDEMIA, preso em casa, sem poder receber a visita dos amigos e nem visitar nenhum deles. Mas vai passar logo. Se DEUS quiser. Pelo aplicativo falei com alguns deles, e falei com muitos da minha Vila Formosa, onde morei até pouco tempo e joguei dominó também. Não sou bom no jogo, mas me divertia muito. E da lembrança desse tempo e desses amigos, me veio a lembrança do Jeremias, morador da rua Cabinari, parceiro velho de copo, de dominó e do futebol aos domingos. E lembrei dele, porque ele afirmava, ou afirma ainda, que o ditado azar no jogo, sorte no amor, é balela, conversa pra boi dormir. Pelo menos, com ele não fez efeito. E faz questão de contar essa história que vou descrever, jurando de joelhos que aconteceu com ele. Diz ele que a esposa, estava menstruada com previsão de encerrar o ciclo na quarta-feira da Semana Santa, quando por motivos religiosos não podia manter relações sexuais antes do Domingo de Páscoa. Ele esperou pacientemente o domingo, levantou, ansioso, conferiu os treze bilhetes da loteria esportiva. E em nenhum, fez nenhum ponto. Na federal, também não acertou nenhum número. Tomou café e foi para o campo do FLOR jogar a pelada dominical, só que nos três quadros que jogou, nenhuma vitória, aliás, nem empate, perdendo todos de goleada. Aí como de praxe foi para o salão da quadra, tomar uma cerveja e jogar bilhar, pra esquecer a humilhação do futebol. Qual, das cinco partidas que disputou perdeu todas. Terminou a cerveja e junto com mais alguns colegas rumaram para a ADEGUINHA, onde rolava um dominó, até a hora do futebol na TV, ou seja às 16h. No dominó também, a sorte não lhe sorriu e foi aí que ele lembrou do célebre ditado e pensou: se nos jogos estou assim,  significa que à noite o BICHO VAI PEGAR! E foi pra casa com esse pensamento e animação. Mas chegando, em casa os jogadores, já estavam cantando o Hino Nacional, não deu tempo nem de almoçar à mesa, comeu ali mesmo no sofá onde assistiu o seu são Paulo tomar um SAPECA IAIÁ do santos. Pronto, pensou ele, hoje, será mesmo o dia de descontar o atraso. Foi pro banho, gastou quase um sabonete no trato com a pele, fez a barba e o pensamento voltado o que iria acontecer após. Usou quase meio tubo de creme dental na escovação dos dentes e esvaziou o vidro de enxaguatório bucal e veio todo animado para o SAPECA IAIÁ. Ao sair do banheiro quem ele encontra na sala conversando com a esposa? A sogra! E pra quem morava num cômodo e cozinha...
CORDEIRO de ITIÚBA
Enviado por CORDEIRO de ITIÚBA em 13/04/2020
Comentários