CORDEIRO de ITIÚBA
Consulte antes um POETA
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Quando eu deixei a minha ITIÚBA 
Lá ficou meu pai 
Como uma planta
Que viu seu fruto desprender-se
Sem nada poder fazer 
 
Porém adubando a esperança 
Que desse fruto desprendesse uma semente 
Dessa semente brotasse nova planta
Que ela frutificasse e de seus frutos 
Desprendessem novas sementes 
 
E assim o ciclo continuar 
 
ITIÚBA, 20/10/1995 
CORDEIRO de ITIÚBA
Enviado por CORDEIRO de ITIÚBA em 30/10/2019
Alterado em 30/10/2019
Comentários