CORDEIRO de ITIÚBA
Consulte antes um POETA
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato

O SORRISO DE ISABEL
 
E pra falar a verdade
Estou me sentindo assim
Sem princípio, meio ou fim
 
Me despiram da vaidade
Dos meus bens materiais
Até dos meus ideais
 
Expulso da sociedade
Restou-me o isolamento
A rua, a sarjeta, o relento
 
Por aquele lindo sorriso
No momento mais preciso
Também pela sua dignidade
 
Dedico-lhe esta poesia
Que fiz sim, à revelia
Porém com sinceridade
 
As letras neste papel
Não dizem tudo, ISABEL
Todavia, dizem a verdade
 
S. Paulo, 28/06/1995
www.cordeiropoeta.net
 
CORDEIRO de ITIÚBA
Enviado por CORDEIRO de ITIÚBA em 30/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários