CORDEIRO de ITIÚBA
Consulte antes um POETA
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato

MADRINHA ZEFA
 
 
De tudo, eu lembrarei
E muito
E com muita saudade
Mas do que tenho mais saudade
É do seu jeito de abençoar
 
A Tonha, sua irmã
Dizia DEUSABENÇOE
Só que não olhava na minha cara
Vovó dizia que era o jeito dela
Mas eu achava aquilo
Um DESABENÇOAMENTO
 
Você não, madrinha
Você era diferente

Abençoava olhando nos olhos
Com ternura
E olhe que nem tínhamos ainda
Rodeado a fogueira de São João
Para sermos afilhado e madrinha
 
Estou triste, claro! Mas ciente
Que onde você estiver
Estará apadrinhada por DEUS
Apadrinhada e abençoada
 
Repito, estou triste
Porém me sentindo abençoado
 
S. Paulo, 18/08/2016
www.cordeiropoeta.net 
 
CORDEIRO de ITIÚBA
Enviado por CORDEIRO de ITIÚBA em 02/12/2016
Alterado em 03/12/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários